Colunistas >> Carol Monteiro

Papel de parede pra renovar o quarto!

09 de mai de 2012 | Por: Carol Monteiro

Tive a oportunidade, recentemente, de dar uma repaginada no quarto de um amigo. A sala dele eu já tinha ajudado a decorar, por isso agora era a hora do outro cômodo do apartamento, que é pequenino, de 1 dormitório/suíte.

Dei a ideia pra ele de usarmos papel de parede na cabeceira da cama. Ideia aceita, enquanto o papel atravessava o oceano Atlântico (o rolo escolhido foi o modelo Cedric, da loja online Papel de Parede dos Anos 70, cuja filial fica na Alemanha), fomos em busca de um novo jogo de cama.

Na minha cabeça, imaginava uma decoração mais chique e urbana, com tons de cinza e branco para amenizar a pintura amarela que domina a casa dele (pintura que já veio original do imóvel, que é alugado).

Quando o papel chegou, o jogo novo já estava comprado. Escolhemos um edredom dupla face de malha cinza claro/cinza escuro, jogo de lençol branco e capas para travesseiros extras nos mesmos tons, pra ele variar. Tudo foi adquirido na Zelo, loja de cama, mesa e banho conhecida em todo o Brasil e que tem preços bem acessíveis.

Dá só uma olhada no quarto do Anderson ANTES:

Agora que ver o DEPOIS? Olha só quanta diferença…

Quer ver mais de pertinho? Tem também:

E eu juro que tudo ficou assim em cerca de 1h30 de trabalho. Quando dei a ideia do papel de parede, falei pro Anderson que achava melhor contratar um profissional pra aplicação. O profissional contratado, cobrou R$ 100 pelo serviço. Eu acho o preço ótimo e vale muito a pena, porque o trabalho fica bem feito e você não fica horas tentando acertar o papel, não corre o risco de rasgá-lo, de deixar bolhas e de não curtir o resultado. Depois de medir, cortar, definir o local, acho que colar o papel mesmo levou cerca de 10 a 15 minutos.

Outra coisa que precisei fazer no quarto dele foi organizar tudo o que ele deixava em cima da cômoda. Muito da decoração de um ambiente tem a ver com a forma que você organiza os itens que fazem parte dele. Descobri que ele tinha um monte de produtos de higiene espalhados pela cômoda e um monte de espaço no banheiro pra colocá-los. Por que eles não estavam no banheiro, então? Não sei, hehe. Mas aí foi só distribuir tudo, deixando a mão aquilo que ele usa diariamente e mais guardado o que ele usa com menos frequência. A cômoda ficou mais livre e o visual mais limpo só com a luminária, o despertador, o porta-retrato e o quadro com a capa do disco Elis & Tom, um clássico da música brasileira e um dos preferidos de Anderson.

Confesso pra vocês que esse foi um dos trabalhos que eu mais amei fazer! Estou muito orgulhosa do resultado e, por isso, deixo aqui mais um pouquinho dele pra vocês:

  • Imprimir